Países ibero-americanos anunciam a criação de um novo mercado regional de indústrias culturais

Países ibero-americanos anunciam a criação de um novo mercado regional de indústrias culturais

OEI. 18/10/2019
Tamanho do texto+-

A XX Conferência Ibero-americana de Ministras e Ministros da Cultura, que ocorreu na Colômbia, dias 17 e 18 de outubro, chegou a um acordo para “estabelecer e desenvolver o mercado Ibero-americano das indústrias culturais e criativas, especialmente das micro, pequenas e médias empresas”, com o objetivo de consolidar a economia criativa da região de maneira sustentável e funcional.

Os participantes do evento comprometeram-se também a unir forças e implementar ações para que a cultura e a economia criativa contribuam decisivamente para a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável.

“O acesso à cultura é uma base vital para a transformação social das nossas nações. Temos aqui presentes ministras e ministros que trabalham todos os dias com dedicação para tornar a cultura um fator de desenvolvimento”, afirmou o Presidente da Colômbia, Iván Duque, na cerimônia de abertura da Conferência.

Para reforçar a contribuição da cultura dos países Ibero-americanos para a Agenda 2030, as ministras e os ministros dos países da região encarregaram a Secretaria-Geral Ibero-Americana (SEGIB), em coordenação com a Organização dos Estados Ibero-americanos (OEI), da concessão e implementação da Estratégia Ibero-Americana de Cultura e Desenvolvimento, que procurará “promover a transformação social, econômica e ambiental da região, prestando especial atenção à diversidade cultural, ao patrimônio cultural e à igualdade de gênero”.

O secretário-geral da OEI, Mariano Jabonero, elencou as propostas de trabalho da organização: “Ligar a ação cultural da OEI aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS); apoiar a agenda digital ibero-americana e a Cátedra Ibero-Americana de Cultura Digital; bem como as redes que fomentam a identidade cultural ibero-americana, de modo a torná-las visíveis e partilhá-las.”

Os responsáveis culturais dos países ibero-americanos acordaram ainda designar 2020 como o Ano Ibero-Americano da Música e 2021 como o Ano Ibero-Americano das Bibliotecas. Na declaração final da Conferência foi também contemplada a continuidade da Agenda de Acesso Democrático ao Livro, à Leitura e à Escrita e a criação de um Estudo sobre a Segurança Social do Artista na Ibero-América. Nesta última proposta, a experiência colombiana será uma referência, bem como a participação da região com uma visão conjunta e estratégica sobre cultura e desenvolvimento sustentável no Fórum Mundial de Ministros da Cultura, convocado pela UNESCO para novembro próximo em Paris.

Mais informações aqui