Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa conhecem o Programa da OEI de difusão da língua portuguesa

Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa conhecem o Programa da OEI de difusão da língua portuguesa

OEI. 30/10/2019
Tamanho do texto+-

Embaixadores e representantes dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) participaram nesta quarta-feira, 30, de um café da manhã organizado pela Organização dos Estados Ibero-americanos OEI, na Espanha. O secretário-geral da OEI, Mariano Jabonero, apresentou aos presentes o Programa Ibero-Americano de Difusão da Língua Portuguesa (PIDLP), uma nova linha de ação institucional da organização e visa promover o uso do português junto com o espanhol na região ibero-americana.

O programa tem como objetivo específico, ampliar os espaços de cooperação no campo da educação, da cultura, da ciência, da tecnologia. O PIDLP foi lançado em 2019 depois de apresentado e aprovado por ministras e ministros da Educação dos países da Ibero-América na última Conferência Ibero-americana de Ministros e Ministras da Educação, ocorrida no ano passado em Antígua, Guatemala.

O encontro com os integrantes dos PALOP antecede a Conferência Internacional Ibero-América (Cilpe 2019) que ocorre dias 21 e 22 de novembro, em Portugal. A Cilpe foi um dos temas do encontro. Jabonero ressaltou que a conferência discutirá propostas para implementação de ações e projetos do Programa Ibero-Americano de Difusão da Língua Portuguesa.

A implementação dessa iniciativa conta com a participação da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) e instituições associadas. Os embaixadores e representantes dos PALOP demonstraram grande interesse na nova linha de ação da OEI e expressaram a necessidade de coordenação entre OEI, PALOP e as instituições dedicadas à língua e cultura portuguesas.

A Ibero-américa é uma das maiores regiões linguísticas do mundo, onde mais de 650 milhões de pessoas se comunicam em espanhol ou português. Um dos maiores blocos linguísticos do mundo, com uma tendência considerável para o crescimento.

De acordo com o Observatório de Língua Portuguesa, a língua de Camões é a quarta língua mais falada no mundo, com mais de 261 milhões de falantes e a de Cervantes é a segunda língua mais falada no mundo, representando 7,8 % da população total mundial. Vale, igualmente, registar que ambas interagem com centenas de línguas nativas, especialmente as indígenas, bem como as de línguas de imigração e de linguagens gestuais na Ibero-América.

Participaram do encontro de hoje na Sede da OEI, Bernabé Ndong, conselheiro da Embaixada da República da Guiné Equatorial na Espanha; Afonso José, Conselheiro da República de Angola na Espanha; José Antonio Matsinha, embaixador de Moçambique na Espanha; Paulo Da Silva, embaixador da Guiné-Bissau na Espanha; Ney Cardoso, embaixador de Cabo Verde na Espanha, Álvaro Durántez Prados, professor especializado em língua portuguesa; e Santiago Velo, diretor da Revista Diplomacy. Pela OEI, além de Jabonero, estiveram no café da manhã o diretor gabinete do secretário-geral, Martín Lorenzo; e a técnica em educação de língua portuguesa, Mariana Migliari.