OEI disponibiliza dados atualizados sobre ciência na Ibero-América

OEI disponibiliza dados atualizados sobre ciência na Ibero-América

OEI. 26/10/2020
Tamanho do texto+-

O Observatório de Ciência, Tecnologia e Sociedade (OCTS) da OEI acaba de atualizar os indicadores da Ciência na Ibero-América que são levantados anualmente há 25 anos pela Rede Ibero-americana de Indicadores de Ciência e Tecnologia (RICYT), da qual participam, no âmbito da cooperação horizontal, os governos e demais instituições públicas ibero-americanas, responsáveis ??pela produção de estatísticas científicas, coordenadas pelo Observatório.

Os dados atualizados confirmam que o investimento ibero-americano em pesquisa e desenvolvimento (I+D) é de baixa intensidade em comparação aos países mais industrializados. Em termos de PIB, o conjunto dos países ibero-americanos fez um investimento que representou 0,74% do produto bruto regional em 2018. Esse mesmo indicador para a América Latina e Caribe (ALC) atingiu 0,63%, enquanto Coréia e Israel alocam quase 5% de seu PIB e Alemanha e Estados Unidos ficam em torno de 3%.

Na década de 2009-2018, a economia da região cresceu mais do que o investimento em (I+D), que representa apenas 2,8% em todo o mundo. Um número que explica a baixa produtividade da região, que se reflete no recente relatório Educação Superior, Competitividade e Produtividade na Ibero-América, elaborado no âmbito do Instituto Ibero-americano de Educação e Produtividade (IIEYP-OEI).

Nesse mesmo período, houve um aumento de 25% no número de pesquisadores ibero-americanos. A maioria, 56%, desenvolve suas atividades em nível universitário; e nesses anos alcançaram um aumento de 81% no número de artigos publicados em revistas científicas registradas no SCOPUS.

Todos esses dados constam do relatório anual sobre o Estado da Ciência na Ibero-América, publicado pela OEI em colaboração com o Escritório Regional de Ciências da UNESCO para a América Latina e o Caribe, cuja edição 2020 será publicada em breve. Embora os mais de 150 indicadores científicos na Ibero-América pesquisados ??anualmente pela RICYT já estejam disponíveis online para uso público e compartilhado.

No atual contexto de crise gerada pela COVID-19, em que é fundamental transformar os sistemas de ciência e tecnologia da América Latina para adaptá-los às novas realidades, os tomadores de decisão política e os cidadãos precisam atuar de forma informada para "não deixar ninguém para trás". . Ter dados bem fundamentados e atualizados fornecidos pelos próprios países, como os fornecidos pela rede RICYT, é uma ferramenta fundamental para o seu alcance.

Para acessar os indicadores atualizados de Ciência e Tecnologia da Ibero-América, clique aqui