I Encontro Ibero-americano de Coordenação do Programa Paulo Freire
I Encontro Ibero-americano de Coordenação do Programa Paulo Freire

I Encontro Ibero-americano de Coordenação do Programa Paulo Freire

OEI. 24/10/2017
Tamanho do texto+-

O México sediou o I Encontro Ibero-americano de Coordenação do "Programa Paulo Freire de Mobilidade Acadêmica para Estudantes de Formação de Professores", onde foi feita uma revisão dos resultados da fase piloto do Programa e estudo de novas propostas e iniciativas para a próxima edição do programa.

O evento foi organizado pela Organização de Estados Ibero-Americanos para Educação, Ciência e Cultura (OEI) e a Secretaria de Educação Pública (SEP) do México, através da Subsecretaria de Educação Superior (SES) e da Direção Geral do Ensino Superior para Profissionais de Educação (DGESPE), com o apoio da Agência Espanhola de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento (AECID).

Benito Mirón, Diretor de Relações Internacionais da Secretaria de Educação Pública, Paulo Speller, Secretário Geral da OEI, Beatriz Paredes, Assessora da Secretaria Geral da SEGIB, Miguel Ángel Encinas, Coordenador Geral da Agência Espanhola de Cooperação para o Desenvolvimento (AECID) e Salvador Malo, Diretor Geral da Universidade de Ensino Superior (DGESU) do Ministério da Educação Pública, foram encarregados de inaugurar o evento.

Na inauguração ressaltou a importância da geminação dos países ibero-americanos através da mobilidade acadêmica que o SEP, a SEGIB e a OEI farão necessário para apoiar e reforçar essas iniciativas.

No final da inauguração, Salvador Malo e Paulo Speller desenvolveram seus principais discursos focados na importância da mobilidade acadêmica para a formação de estudantes do Ensino Superior.

Salvador Malo enfatizou a importância da internacionalização da Educação Superior, com ênfase especial na obtenção de competências de autogestão que os beneficiários de programas de mobilidade devem obter.

Por sua parte, a Speller colocou em valor o Espaço Ibero-americano do conhecimento como uma área de convergência e coordenação dos esforços dos diferentes atores acadêmicos, sociais e políticos. Por sua vez, ele destacou o potencial do Programa Paulo Freire como uma iniciativa inovadora que define o curso de ação para os futuros professores e que beneficiou 225 estudantes em 2017.


Na sequência do trabalho realizado em 17 de outubro, realizou-se, no dia 18, a II Reunião técnica do Programa Paulo Freire, com a presença dos pontos focais nacionais do programa provenientes da Argentina, Bolívia, Brasil, Colômbia Costa Rica, Cuba, Equador, El Salvador, Espanha, Guatemala, Honduras, México, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Peru, República Dominicana, Uruguai. 

Durante a reunião, foi realizada um balanço das experiências nos países participantes, onde foram apresentados os resultados alcançados desta fase piloto, tendo como meta alcançar 485 mobilidades até 2018. Do mesmo modo, foram acordadas diretrizes para dar continuidade ao trabalho futuro do programa Paulo Freire.