O espaço intergovernamental e os Organismo s Ibero-americanos – COIB


Quando foi iniciado o planejamento das atividades comemorativas do Quinto Centenário, certos governos ibero-americanos começaram a delinear a idéia de constituir um ambiente de reunião dos países ibero-americanos.

A partir de tal iniciativa, foi convocada a Primeira Cúpula Ibero-americana de Chefes de Estado e de Governo, realizada em Guadalajara, México, em 1991, onde decidiu-se “estabelecer um diálogo de mais alto nível entre os países da Ibero-América. Os Chefes de Estado e de Governo reunidos em Guadalajara, México, decidimos constituir a Conferência Ibero-americana de Chefes de Estado e de Governo com a participação dos Estados soberanos da América e da Europa de língua espanhola e portuguesa”.

No entanto, não nascem ali os esforços para a construção de um campo de trabalho a nível ibero-americano.  Na verdade, foi criada em 1954 a Organização dos Estados Ibero-americanos para a Educação, a Ciência e a Cultura (OEI). Nesse mesmo ano foi criada a Organização Ibero-americana de Seguridade Social (OISS) e finalmente, em 1922, são constituídas a Organização Ibero-americana de Juventude (OIJ) e a Conferência de Ministros de Justiça dos Países Ibero-americanos (COMJIB), todos eles organismos internacionais ibero-americanos.

Finalmente, no ano de 2004, é criada a Secretaria-Geral Ibero-americana côo organismo permanente da Conferência Ibero-americana.

COIB


O Conselho de Organismos Ibero-americanos (COIB) consiste em um mecanismo de coordenação, diálogo e proposta entre estes organismos a fim de reforçar ainda mais a coordenação interinstitucional na Ibero-América, potencializar o aproveitamento dos recursos humanos e materiais disponíveis e promover, de forma definitiva, o fortalecimento do espaço ibero-americano.

O Conselho, integrado pelos cinco Secretários-Gerais, é presidido pelo Secretário-Geral da SEGIB e as propostas e acordos emanados poderão ser apresentados à Cúpula Ibero-americana de Chefes de Estado e de Governo.

Culmina assim um processo que permitirá potencializar o espaço de cooperação, fortalecendo o sistema ibero-americano e institucionalizando através da SEGIB as relações da OEI, da OISS e da COMJIB com a Conferência Ibero-americana.